terça-feira, 31 de agosto de 2010

O QUE FAZ VOCÊ FELIZ?


Festas, balada, bebidas, drogas, pegação, sexo, orgasmo, fofocas, roupas, carros, eletroeletronicos, luxo, comida, dinheiro, amizades, status, poder, glória, glamour, viagens. Se você reparar bem estes "produtos" têm sido exaustivamente apresentados em propagandas e campanhas publicitárias, por um simples motivo, elas são apresentadas como o que é necessário na sua vida para te fazer feliz.

Mas eu te pergunto, realmente tem feito feliz, ou você tem vendido sua vida apenas por momentos de prazer, que em primeiro momento nos levam ao "céu", mas que depois que essa alegria instantânea passa, nos leva a ver como somos infelizes, vazios e solitários. Cada vez temos que tomar doses mais altas dessa droga chamada prazer, e quanto mais tomamos menos nos satisfazemos, chegamos a cometer loucuras, em busca dessa alegria, realização, que vem através dessa falsa ilusão de liberdade que temos, mas que a cada momento que passa nos torna mais escravos, dependentes, literalmente viciados, aprisionados. E quando menos percebemos estamos vendendo até nossa alma atrás desses instantes.

Você pode até pensar que estou exagerando, que se vender, ah, isso você não faz não. Será mesmo? Quando troca sua intimidade com Deus, por alguns segundos, ou horas, ou até dias, de simples "prazer"para satisfazer seus desejos carnais por mais que não saiba, você está se prostituindo!, Sim, PROSTITUINDO. Segundo o dicionário Aurélio: "Prostituir-Deixar-se corromper por peitas ou favores". E o que a bíblia diz sobre isso:" Fugi da prostituição. Todo o pecado que o homem comete é fora do corpo; mas o que se prostitui peca contra o seu próprio corpo.Ou não sabeis que o vosso corpo é o templo do Espírito Santo, que habita em vós, proveniente de Deus, e que não sois de vós mesmos?" 1 Coríntios 6: 18,19.

Mesmo que não queira assumir, você, e só VOCÊ sabe o quanto tem sofrido por ser escravo desse cafetão chamado Diabo, que tem dominado e prendido algumas areas da sua vida, ou sua vida toda, e tenho uma má notícia, nada do que tentar fazer com suas forças, por melhor que seja a intenção, vai funcionar para te libertar.

Mas, alguém pagou o preço por sua vida, comprou sua carta de alforria, e quer te ver LIVRE, totalmente livre, que possa ser feliz, independe do que aconteça ao seu redor, ou do que você faça. E vou te dizer, você foi caro, muito caro, foi pago não por ouro, não por prata, nem diamantes, dollares, euros, ou qualquer outra moeda, o seu preço foi o sangue e a vida de Jesus. Sim, Ele entregou tudo que tinha numa cruz, ao morrer:" Verdadeiramente ele tomou sobre si as nossas enfermidades, e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus, e oprimido.Mas ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e moído por causa das nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados." Isaías 53: 4-5. Ele morreu para que tenhamos vida, e vida em abundância, e o que isso significa? Ele quer que sejamos plenos, completos, e isso inclui alegria, mas não algo passageiro, sujeito à momentos, instantes, mas melhor, muito melhor, é alegria e prazer incondicional.

Se você quer isso em sua vida, mas não sabe como, te digo, se ainda não aceitou Jesus como sendo o único que pode salvar sua vida, e como o único dono e Senhor dela, aceite agora, não perca tempo, ele te ama e quer te fazer feliz. Mas se você já o aceitou e ainda continua trocando sua intimidade com Ele por prazeres passageiros, e quer se livrar disso, deixe o Pai trabalhar seu coração, somente com a ajuda dEle conseguirá se ver LIVRE, e puro novamente:
"E é o que alguns têm sido; mas haveis sido lavados, mas haveis sido santificados, mas haveis sido justificados em nome do Senhor Jesus, e pelo Espírito do nosso Deus." 1 Coríntios 6:11
E acima de tudo, nunca nos esqueçamos que o preço já foi pago, só nos basta querer mudar:
"Porque fostes comprados por bom preço; glorificai, pois, a Deus no vosso corpo, e no vosso espírito, os quais pertencem a Deus." 1 Coríntios 6:20




sexta-feira, 27 de agosto de 2010

E AS ESTRELAS?




“. Se as coisas são inatingíveis... ora!
Não é motivo para não querê-las...
Que tristes os caminhos se não fora
A mágica presença das estrelas!”

Mario Quintana

Este texto me leva a lembrar sobre duas coisas retratadas na bíblia e que estão intimamente ligadas uma a outra: SANTIDADE e FALAR DO AMOR DE DEUS. Santidade... mas o que seria esse negócio que tanto falam? Segundo o Aurélio: “Atributo divino que consiste na ausência, em Deus, da mais insignificante imperfeição. Estado de perfeição a que são chamados todos os homens.” Segundo a bíblia: “Mas, como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em toda a vossa maneira de viver; Porquanto está escrito:Sede santos, porque Eu sou santo.” 1 Pedro 1:15-16. Ser santo é ser imitador de Cristo, é viver o Amor do Pai em sua plenitude, é levar sua cruz e negar a carne, seus desejos, impulsos, é ser perfeito por completo, sem pecar, tendo assim total comunhão com Deus, por não haver mais pecado em você. Mas isso é impossível de se alcançar em vida, aqui na terra, somente quando chegarmos nos céus obteremos tal status. Então, se é impossível, para que tentar alcançar? Essa é uma pergunta que eu mesmo me fiz algumas vezes, e sempre procurava alguma resposta em minhas idéias, meus conceitos e não encontrava. Somente quando passamos a olhar para a missão que Jesus nos deu na Terra é que conseguimos entender: ”E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura.Quem crer e for batizado será salvo” Marcos 16: 15,16. Mas o que tem haver santidade com pregar o evangelho?

Vejamos, o que seria pregar o evangelho? É mais do que simplesmente ler algo escrito na bíblia, dizer “Jesus te ama”, e “se você não se converter vai para o inferno”, é se importar com as pessoas ao seu redor, prestar atenção nelas, e fazer isto vivendo o amor de Cristo, esse amor sem medidas, sem barreiras, que alimenta o faminto, ajuda o necessitado, visita o doente( do corpo e da alma ) leva uma palavra de consolo para o desesperado, se faz presente na vida de quem está só, se doa a ponto de colocar as aflições e problemas do outro antes das suas, uma amor que traz uma alegria incondicional, uma paz inimaginável, descanso para o cansado, e acima de tudo, muda as nossas vidas, fazendo-nos novas criaturas. Lindo, realmente, mas agora vem a parte que te toca: Quantas pessoas foram atingidas por esse amor, através da sua vida? Quantos entregaram sua vida a Jesus porque viu em você esse amor, essa mudança, algo diferente? A sua salvação tem crescido a ponto de atingir outras pessoas? Se sim, parabéns. Se não, você sabe por quê? Talvez isso ocorra pois nós não estejamos buscando santidade verdadeira, sendo imitadores de Cristo, o que nos levaria a amarmos como Ele amou e com o amor vindo dEle. Quanto maior a santidade, mais intimidade temos com o Pai, e quanto mais intimidade, mais podemos desfrutar do amor dEle, e assim refletirmos sua glória, pois Deus “É como a luz do sol que, embora não tenha preferências, não consegue refletir-se num espelho sujo de forma tão clara quanto num espelho Limpo.” C.S. Lewis. Agora te pergunto, você não tem alcançado vidas? Sua fé está morta como Tiago retrata em seu livro no capítulo 2 repetidamente? Não leva ninguém a conhecer a Cristo? Então olhe para si mesmo, veja o quão limpo está seu espelho para refletir a luz do Sol, ou se apenas há pó sobre ele.

Se o deixou tornar-se imundo a ponto de a única coisa visível nele ser a sujeira, não desanime, esta é a hora que você tem para mudar, entregue sua vida nas mãos de Deus, deixe ele mudar tudo que for necessário, trocar até suas idéias e conceitos que estão errados, e passe então a crescer e caminhar dia após dia para a santidade, e lembre-se que nesse caminho rumo ao inatingível está repleto de estrelas, esperando apenas que você pare para prestar atenção nelas, e passe a ver o quão maravilhosa é essa caminhada.

terça-feira, 24 de agosto de 2010

O DRAGÃO




"Finalmente chegamos ao alto de uma montanha que eu nunca vira antes, no cimo da qual havia um jardim. No meio do jardim havia uma nascente de água. Vi que era uma nascente porque a água brotava do fundo, mas era muito maior do que a maioria das nascentes – parecia uma grande piscina redonda, para a qual se descia em degraus de mármore. Nunca tinha visto água tão clara e achei que se me banhasse ali talvez passasse a dor na pata. Mas o leão me disse para tirar a roupa primeiro. Para dizer a verdade, não sei se falou em voz alta ou não. Ia responder que não tinha roupa, quando me lembrei que os dragões são, de certo modo, parecidos com as serpentes, e estas largam a pele. “Sem dúvida alguma é o que ele quer”, pensei. Assim, comecei a esfregar-me, e as escamas começaram a cair de todos os lados. Raspei ainda mais fundo e, em vez de caírem as escamas, começou a cair a pele toda, inteirinha, como depois de uma doença ou como a casca de uma banana. Num minuto, ou dois, fiquei sem pele. Estava lá no chão, meio repugnante. Era uma sensação maravilhosa. Comecei a descer à fonte para o banho. Quando ia enfiando os pés na água, vi que estavam rugosos e cheios de escamas como antes. “Está bem”, pensei, “estou vendo que tenho outra camada debaixo da primeira e também tenho de tirá-la”. Esfreguei-me de novo no chão e mais uma vez a pele se descolou e saiu; deixei-a então ao lado da outra e desci de novo para o banho. E aí aconteceu exatamente a mesma coisa. Pensava: “Deus do céu! Quantas peles terei de despir?” Como estava louco para molhar a pata, esfreguei-me pela terceira vez e tirei uma terceira pele. Mas ao olhar-me na água vi que estava na mesma. Então o leão disse (mas não sei se falou): “Eu tiro a sua pele”. Tinha muito medo daquelas garras, mas, ao mesmo tempo, estava louco para ver-me livre daquilo. Por isso me deitei de costas e deixei que ele tirasse a minha pele. A primeira unhada que me deu foi tão funda que julguei ter me atingido o coração. E quando começou a tirar-me a pele senti a pior dor da minha vida. A única coisa que me fazia agüentar era o prazer de sentir que me tirava a pele. Tirou-me aquela coisa horrível, como eu achava que tinha feito das outras vezes, e lá estava ela sobre a relva, muito mais dura e escura do que as outras. E ali estava eu também, macio e delicado como um frango depenado e muito menor do que antes. Nessa altura agarrou-me –não gostei muito, pois estava todo sensível sem a pele – e atirou-me dentro da água. A princípio ardeu muito, mas em seguida foi uma delícia. Quando comecei a nadar, reparei que a dor do braço havia desaparecido completamente. Compreendi a razão. Tinha voltado a ser gente." texto retirado do livro "Viagem do Peregrino da Alvorada" do autor C.S. Lewis

Este parte do livro mostra um momento, onde um garoto chamado Eustáquio, por causa de magia, havia se tornado um dragão, e não tinha possibilidade alguma de retornar a ser humano. Então eis que Aslam( o leão, uma alegoria de Deus na história ) aparece, e o leva a um lago, e eis que por mais que Eustáquio tentasse se livrar da pele de dragão, somente pela força e com a ajuda do Leão é que ele consegue se ver limpo e livre, não como antes, mas de uma maneira muito melhor.

Contextualizando, quantas vezes não nos encontramos na mesma situação que o garoto? Temos manias, vícios, vontades, idéias, atitudes que nos acompanham por um bom tempo já, fazem até parte de nós, mas que incomodam, machucam, tiram nosso sono, dão nojo, levam a entrarmos em crise, pois por mais que tentemos vencer essas dificuldades da nossa alma, não conseguimos, prosseguimos presos, acorrentados. E já não temos mais forças para lutar, para resistir, para caminhar em paz.

Mas eis que o Leão da tribo de judá, Jesus, aparece, Ele sabe o quanto tem sido difícil para você acordar todo dia, sabendo que tudo se repetirá, achando que não tem mais jeito, derrotado. Então Ele vem, sem julgá-lo, nem condená-lo, toma-o pelas mãos, e Ele sabe de tudo aquilo que o tem feito sentir-se como um dragão, desajustado, feio, sujo, discriminado, doente, triste, e ao ver isto enfia suas garras em nossa pele de dragão, alcançando lugares que nós mesmos imaginávamos que seria impossível chegar, no mais fundo do nosso coração, e arrancando tudo aquilo que nos impedia de sermos LIVRES.

Sim, isto vai doer, pois nós levantamos obstáculos, barreiras, em nossos corações, e é necessário que sejam quebrados, e arrancada toda sujeira, como quando retiramos um espinho de nossa pele, que quanto maior e mais fundo ele está, mais dói para tirar, mas ao mesmo tempo, o alívio e o prazer quando se vê livre daqui-lo é maravilhoso. E é isso que Deus quer fazer com você, quer alcançar seu coração e fazer consertar tudo aquilo que você sempre quis mudar mas que não tem, nem nunca teve, forças e capacidade para fazer, mas que o sempre o humilhou, e prendeu, e agora Ele te limpa, cura suas feridas, e faz novo, Basta você parar e ouvir a voz dEle te chamando.

"Purifica-me com hissopo, e ficarei limpo; lava-me, e ficarei mais alvo que a neve" Salmos 51:7

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Alegria


"Se paz a mais doce me deres gozar,

Se dor a mais forte sefrer;
Oh, seja o que for, Tu me fazes saber
Que feliz com Jesus hei de estar.

Embora me assalte o cruel Satanás,
E ataque com vis tentações,
Oh, sim certo estou, mesmo em tais provações, Em Jesus acharei força e paz.

Sou feliz com Jesus!
Sou feliz com Jesus,
Meu Senhor!

Jesus meu Senhor, ao morrer sobre a cruz
Livrou-me da culpa e do mal;
Salvou-me Jesus, oh, mercê sem igual!
Sou feliz, hoje vivo na luz.

A vinda eu anseio do meu Salvador;
Em breve virá me buscar;
E então lá no céu vou pra sempre morar,
Com remidos na luz do Senhor"

"Este hino foi escrito por Horatio G. Spafford (1828-1888) nascido em North Troy-NY , no dia 10 de outubro.

Ele foi um presbiteriano convertido a Cristo através do evangelista Moody (foi um grande evangelista e avivalista do séc 19). Horatio se tornou um advogado prospero na cidade de Chicago, mesmo depois de seu sucesso financeiro, continuou mantendo um relacionamento estreito com Moody e com um profundo interesse pelas campanhas de evangelização.

Tinha apurado gosto pela musica e era devotado ao estudo das Escrituras.Meses antes do grande incêndio que atingiu a cidade de Chicago, em 1871, Horatio tinha feito pesados investimentos financeiros em uma área que foi totalmente destruída pelo fogo.

Não bastasse esse terrível abalo financeiro, Spasfford passou por uma dolorosa perda de um filho. Esta morte trouxe grande sofrimento para toda a família.

O piedoso advogado, procurando um tempo de refrigério e descanso, resolveu viajar com a esposa e as 4 filhas para a Europa, onde se encontraria com Moody e Sankey em uma cruzada evangelistica na Inglaterra, em 1873.

Em novembro daquele ano, devido a inesperados compromissos de negócios, Spafford precisou permanecer em Chicago; mas ele enviou sua esposa e as suas 4 filhas conforme já estava programado no navio S.S. Ville du Havre.

Sua expectativa era seguir viagem dias depois. No dia 22 de novembro de 1873, o navio sofreu um acidente e naufragou em 12 minutos. Dias depois, os sobreviventes finalmente chegaram em Cardiff, no Pais de Galles, e a senhora Spafford mandou um telegrama ao seu marido: “SALVA, PORÉM SÓ”.

As 4 filhas morreram naquele naufrágio. Imediatamente após receber o telegrama da esposa, Spafford tomou um navio e foi ao encontro de sua esposa. Próximo ao local do acidente, Spafford foi profundamente comovido e sustentado pelo Deus que inspira canções" e nesse contexto de tantas perdas ele pode escrever o hino que abre o texto desse blog.

Vivemos em uma sociedade onde a maior entre as pessoas é a infelicidade, a tristeza, não por menos o Mal do Século é a depressão. Todos os dias somos decepcionados, frustrados, temos cada vez mais doenças, conhecidos sendo mortos, pessoas traídas.

Chegamos a um ponto onde nada resolve as nossas aflições, incertezas, inseguranças. Tentamos achar soluções nas distrações, nos finais de semanas, nos feriados, no jogo de futebol, na roda de amigos, mas mesmo assim, temos alguns poucos momentos de prazer, mas ao chegarmos em casa e deitarmos em nossas camas sentimos novamente aquela tristeza, uma solidão que nos agonia.

Mas dai nos perguntamos, como pode uma pessoa após ter todos os seus filhos mortos em um naufrágio, falar que se alegra? Dizer que apesar do que acontecer ele achara paz? Você pode dizer que isso é loucura , frieza, ou qualquer coisa do tipo, mas eu venho te digo, isso é algo muito maior do que podemos imaginar, chama-se JESUS.

Ele vem te oferecer, algo que sem comparação, que dinheiro não compra, que ninguém pode te dar: ALEGRIA. Uma alegria que não é momentânea, que não acaba, nem fica sem graça. Alegria sem fim, que só cresce a cada dia mais, que é capaz de mesmo com todos os fatores contra, ainda estar lá, em seu coração, te consolando nos momentos mais difíceis.

Você quer experimentar dessa alegria? Então simplesmente peça a Ele, que te ama tanto, que esteja no seu coração a todo tempo. Pois Ele disse: "Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei.

Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas alma" Mateus 11:28-29

Vá até Ele, encontre alegria, paz, descanso, e experimentara algo surpreendente, prometo que não vai se decepcionar.

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Esqueceram de Mim


Provavelmente todos já assistiram inúmeras vezes o filme cujo o nome dá o título desde texto. Trata-se da história de um garotinho que é esquecido pela familia toda na véspera de natal, quando estes vão para Paris, deixando o caçula em casa, por engano. Depois de muitas reviravoltas, trapalhadas, ladrões e risadas, a família se reencontra com o menino.

Mas o que eu quero falar não é sobre o filme, mas sim sobre o que nós temos feito, mais especificamente, sobre alguém que temos esquecido. Jesus. Sim, por mais que nos consideremos, e digamos em alto e bom som, que somos cristãos, nós simplesmente temos deixado Cristo de lado, mas por que? se Ele é quem nós mais temos que nos lembrar, nos apegar?

Vivemos em um mundo cada vez mais narcisita, onde o meu bem estar acima de tudo, onde os fins justificam os meios, até mesmo dentro de nossas igrejas, pois colocamos nossos planos e sonhos antes da vontade do Senhor, sendo que por mais que eles pareçam bons, e como dizem, "de Deus", se eles não vieram do Pai, ao fim nos levará apenas a nos machucarmos, ferirmos e, principalmente, nos frustrarmos.

Temos que parar de tomar decisões e tentarmos usar Cristo de respaldo, dizendo "mas eu fiz isso pela obra... foi de boa vontade... o que importa é que eu fiz o meu melhor pra Deus... ", temos que começar a lembrarmos de tudo que Jesus fez, pois Ele tem que ser nosso maior exemplo, mas com toda certeza, o momento que mais temos que ter vivo em nossas mentes, e corações, é a paixão de Cristo, a entrega dEle como sacrifício vivo, deixando a maior lição de toda sua vida: Negar a si mesmo.

Você deve estar se perguntado, mas e o Amor? Isto é consequência de renunciar ao que nós somos. Pois ao aceitar ser levado para tomar açoites, cusparadas, ser humilhado, Ele nos ensina que devemos negar a nossa vontade, nossos desejos, por mais que pareçam corretos, temos que morrer, para que nasçamos de novo, mas não para que nós vivamos, mas para que Cristo viva em nós, que estejamos sujeitos ao seu querer, "Porque assim como os céus são mais altos do que a terra, assim são os meus caminhos mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos mais altos do que os vossos pensamentos." Isaías 55:9. Mas essa renúncia só é possível de uma forma, com o AMOR, este que vem dos Pai, que tem na cruz a sua maior prova, "Mas ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e moído por causa das nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados." Isaías 53:5. Ele fez isso por amor, a mim e a você.

Agora te faço um desafio, olhe para sua vida, e seja sincero com você mesmo pelo menos uma vez na vida, e veja se tem realmente negado a si mesmo, e deixado que Cristo viva em ti, tendo assim, vida e vida em abundancia, podendo desfrutar de toda paz, alegria, amor, realização que somente Ele pode te dar

Que Possamos dizer:"Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a na fé do Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim." Galatas 5:20

E que nunca esqueçamos daquele se fez homem, e sendo homem, morreu para que tenhamos vida.

Hoje deixo uma musica , da banda resgate, que se chama "Vou me Lembrar" (clique para ouvir)

uma pequena parte dela:

"Lembre-se de quem gera das entranhas o Seu povo

Que valemos mais do que o mundo inteiro com o seu ouro

Que aquele sacrifício, é vivo e permanece sobre todos nós para sempre"

domingo, 1 de agosto de 2010

Tá na hora da brincadeira acabar.




"...Era uma vez um escritor que morava em uma tranquila praia, junto de uma colônia de pescadores. Todas as manhãs ele caminhava à beira do mar para se inspirar, e à tarde ficava em casa escrevendo. Certo dia, caminhando na praia, ele viu um vulto que parecia dançar. Ao chegar perto, ele reparou que se tratava de um jovem que recolhia estrelas-do-mar da areia para, uma por uma, jogá-las novamente de volta ao oceano. "Por que está fazendo isso?"- perguntou o escritor "Você não vê! --explicou o jovem-- A maré está baixa e o sol está brilhando. Elas irão secar e morrer se ficarem aqui na areia". O escritor espantou-se. "Meu jovem, existem milhares de quilômetros de praias por este mundo afora, e centenas de milhares de estrelas-do-mar espalhadas pela praia. Que diferença faz? Você joga umas poucas de volta ao oceano. A maioria vai perecer de qualquer forma". O jovem pegou mais uma estrela na praia, jogou de volta ao oceano e olhou para o escritor. "Para essa aqui eu fiz a diferença..". "

Você já parou para se perguntar quantas vidas foram salvas por você? Em quantas você realmente pode dizer que fez diferença?

Muitas pessoas morrem na rua, sem ter o que comer, de frio, de doenças simples, como uma gripe, e você ainda reclama porque sua Tv não é de plasma, seu celular já tem uma ano, você não tem 5 tipos de calçados diferentes, você comeu a mesma mistura dois dias seguidos no almoço, sua camiseta não é de marca, que você foi pra escola a pé.

Não estou falando da África, da Índia, do Oriente Médio, da China... muitas vezes, pessoas a 100 metros da sua casa, passando fome, sem ter uma condição de vida digna, e nós reclusos em nossa zona de conforto, com um controle remoto na mão, teclando com os amigos, e chorando ao assistir "Marley & Eu", quando o cachorro morre (sim ele morre), quantas vezes você chorou ao ver uma criança desabrigada, pedindo dinheiro, toda suja, um homem se sujeitando a viver em uma praça, uma família sem comida, sem casa, sem roupas?

Não somente na parte física, mas quantas pessoas estão em depressão, só, desamparadas, sem quem leve um pouco de carinho, de cuidado, de compaixão? Pessoas que simplesmente querem ser ouvidas, acolhidas, sentirem-se amadas.

Está na hora de fazermos a diferença, pararmos de simplesmente falarmos do amor de Deus, e passar a sentir, a demonstrar, esse amor que não vê cor, raça, sujeira, beleza, dinheiro, que não sente fedo ou vergonha. Amor que cuida, ampara, acolhe, que não esquece, larga ou foge dos que precisam.

Então reflita, se você já não o fez,então veja, o quão mesquinho, frescos, nojentos, egoístas, frios e repugnantes NÓS somos. Paremos de murmurar, de olhar para nosso umbigo, e ajamos, o relógio não para, pessoas estão sofrendo, morrendo, e cabe a nós irmos ajudá-las.

Pois Cristo disse:
"Porque tive fome, e destes-me de comer; tive sede, e destes-me de beber; era estrangeiro, e hospedastes-me;

Estava nu, e vestistes-me; adoeci, e visitastes-me; estive na prisão, e fostes ver-me.

Então os justos lhe responderão, dizendo: Senhor, quando te vimos com fome, e te demos de comer? ou com sede, e te demos de beber?

E quando te vimos estrangeiro, e te hospedamos? ou nu, e te vestimos?

E quando te vimos enfermo, ou na prisão, e fomos ver-te?

E, respondendo o Rei, lhes dirá: Em verdade vos digo que quando o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes."

Mateus 25:35-40


Você quer desobedecer o Pai? Eu não, está na hora da mudança!