quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Oh meu DEUS...




Oh Meu Deus, olhe só este lugar
Seus dedos enlaçam em volta do osso
Você ordena pausa e ajusta o tom
Belos vôos, o futuro desmorona
Sobre a dor do presente. Todo tolo diz: ?oh meu Deus?

Oh Meu Deus, porque temos tanto medo?
Fazemos pior quando não sofremos
Não há cura para a nossa enfermidade
Diga uma frase e se levante novamente
Ou finja que morreu e conte apenas para seu melhor amigo
Oh meu Deus.

Oh Meu Deus, posso reclamar?
Você tira de mim a minha segura fé e insere a minha alma em seu luto
Núpcias, navios e álibis
Todos dispersos e uma mãe a chorar

Mentirosos e tolos, filhos e fracassos, Os ladrões sempre vão dizer...
Perdidos e achados, viajantes indispostos, Curandeiros sempre dizem...
Promíscuos e anjos, homens com problemas, Retirantes sempre dizem...
Aqueles com corações partidos, solitários, Os órfãos sempre dizem...
Iniciantes de guerra, preconceituosos raciais, Pregadores sempre dizem...
Pais que estão longe, combatentes vencido, Doadores sempre dizem,
Romeiros, viúvas solitárias, Usuários sempre dizem...
Mães assustadas, céticos cautelosos, Salva-vidas sempre dizem...

Comumente não consigo perdoar
E atualmente a misericórdia perfura profundamente
Se o mundo fosse como deveria, talvez
Eu conseguiria dormir um pouco
E enquanto me deito, sonho que somos melhores
Os padrões se vão e os rostos brilham
Quando acordamos, odiamos nosso irmão
Ainda nos esforçamos para machucar uns aos outros
Às vezes posso fechar meus olhos
E todo o medo que me mantém calado
cai sob minha dificultada respiração
O que me torna tão mal resolvido?
Todos temos a chance de matar
Todos sentimos a necessidade de um milagre
E ainda queremos lembrar que a dor vale o desposjo (trovejar)

Às vezes quando perco o controle,
Fico imaginando o que fazer sobre o céu
Todas as vezes que pensei em chegar lá em cima
Todas as vezes que tive que ceder
Bebês debaixo de seus berços
Hospitais que não podem cuidar das feridas
que o dinheiro causa
Todo o conforto das catedrais
E o choro das crianças sedentas,
esta é a nossa herança
E toda a ira de mães a velar,
esta é a nossa maior ofensa
Oh meu Deus”

( Tradução da música “Oh my God” (clique para ouvir) da banda Jars Of Clay )

Até quando iremos domingo após domingo nas nossas igrejas, sentaremos em nossos confortáveis bancos,  com nossas roupas de marca, cantaremos no louvor, ouviremos a palavra, diremos Glória a Deus, Aleluia, sairemos, iremos para casa, e acharemos que após todo esse nosso ritual cumprimos nosso dever de crente, passamos pela “árdua” jornada de louvarmos a Deus, e agüentarmos  o Pastor que não sabe nada falar algumas palavras bonitas La na frente, pronto, “garanti meu lugar” no céu você deve pensar.  Se você pensa assim, ou talvez não pense, mas simplesmente age assim, simplesmente ignorando que existem pessoas neste mundo que não possuem o que comer, vestir, onde morar, famílias inteiras vivendo em condições desumanas,  crianças morrendo por falta de alimento, remédio, água potável. E sabe o que você tem feito? NADA! Tem fechado seus olhos, endurecido seu coração, e ignorado que isso é culpa nossa, que não fazemos nada para ajudar, nem ao menos nos importamos.

Agora pergunto quantas pessoas que se dizem cristãs muitas vezes choram ao assistir filmes de cachorros como “Marley & Eu”, “ Para sempre ao seu lado “, mas agem com indiferença ao saber as notícias como das catástrofes que tem acontecido no Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais, Santa Catarina? Ou não se incomodam em ver uma criança desabrigada, a passar fome?
Em Galatas 5:14  diz: “Porque toda a lei se cumpre numa só palavra, nesta: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo. “ AMAR AO SEU PRÓXIMO! Você acha que amar ao próximo é se omitir aos problemas das pessoas que precisam de sua ajuda? Ou simplesmente não ir ajudar alguém porque está cansado, com preguiça, desanimado? Agora te digo, uma pessoa ao que realmente entregou sua vida a Jesus, passa a ter o amor de Cristo dentro de si, que o envolve por inteiro criando naturalmente em seu coração um sentimento de inconformidade, o desejo de ajudar, a compaixão pelo próximo. “E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus. “ Romanos 12:2 Se isso não acontece com você os problemas das outras pessoas pouco importam, se a dificuldade de seus vizinhos não o aflige, se tantas pessoas morrendo, com fome, com dor, por causa de negligência não tira a sua paz, então há algo muito errado com você.

Que possamos viver o amor de Cristo que habita em nós, e não simplesmente nos apegarmos a uma falsa religiosidade inútil. Que paremos de simplesmente clamar “ Ó meu Deus... Ó meu Deus” e comecemos a fazer a vontade desse nosso Deus! E Que seja feito por causa do amor, e não atrás de realização pessoal e glórias!

“Então dirá também aos que estiverem à sua esquerda: Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos;
Porque tive fome, e não me destes de comer; tive sede, e não me destes de beber;
Sendo estrangeiro, não me recolhestes; estando nu, não me vestistes; e enfermo, e na prisão, não me visitastes.
Então eles também lhe responderão, dizendo: Senhor, quando te vimos com fome, ou com sede, ou estrangeiro, ou nu, ou enfermo, ou na prisão, e não te servimos?
Então lhes responderá, dizendo: Em verdade vos digo que, quando a um destes pequeninos o não fizestes, não o fizestes a mim.
E irão estes para o tormento eterno, mas os justos para a vida eterna.” Mateus 25: 41-46

Um comentário:

  1. nao teconheco e nem vc me conhece... mas essa palavra foi de Deus pra mim.. um despertar! a gnt so se preocupa com o nosso umbigo indo assim contra a palavra de Deus!mt bom o texto... Deus abençoe!

    ResponderExcluir