sábado, 12 de maio de 2012

NADA


Analisando bem o tema a ser dissecado aqui consigo imaginar que talvez, e somente talvez, você queira saber do que tenho a falar, porque sendo assim, se interessa, e este interesse sincero, e quase inocente o leva a percorrer cada linha do texto com uma fome, não de comida como no nordeste, nordeste que parece fogueira de são joão, como diria Luis Gonzaga, no hino chamado Asa Branca, branca como a noite, e leve como um elefante.
Mas falando serio, não quero enrolar, pois tempo é dinheiro, e não tenho dinheiro, já que sou estagiário, ou escraviário, termo pesado, espero que meu chefe não leia isto, mas se ler tudo bem, pois medo não tenho nem da morte, se bem que morrer deve ser algo interessante, meio sem vida, confesso, talvez monótono, tipo um fim de filme, mas não qualquer filme, um daqueles de película de 35 mm, de 24 frames por segundo, segundo que voa, um instante, tão rápido, se analisarmos seguindo um pensamento aristotélico, ou uma visão mais conservadora, podemos chegar a conclusão, não muito fundamentada, como deveria ser, ou como imaginaríamos que fosse, só imaginaríamos, porque realmente ser é muito diferente, como diz Kafka, em seu mais famoso livro, que todos deveriam ler, ou talvez não, pois, se assim fosse, poderíamos incorrer no risco, não muito grande, nem muito pequeno, no tamanho certo, ou não, pois há algo certo neste mundo? Antes que responda a pergunta, pense um pouco, mas não muito, pois se o muito, é contrario do pouco, que pode ser muito, se comparado com outro pouco, que sob o viés marxista de analise, impetramos a conclusão de que de maneira desvairada, louca como Carlota Joaquina, que faz parte da história de algum país que eu deveria lembrar, mas que lembrar é algo muito difícil, tão difícil que nem me lembro mais do que eu ia falar. 


Pra que tanta asneira num texto só? Para nos lembrar de como perdemos tempo lendo textos que não dizem nada, fazemos coisas que não levam a nada, assistimos a programas de TV que só enrolam, e que nosso precioso tempo está sendo desperdiçado, enquanto esquecemos de nossas famílias, esquecemos das verdadeiras amizades, esquecemos do que realmente vale a pena gastar o tempo, e não perder, porque perder tempo foi você ler este texto. 

E porque este vídeo aqui? Porque eu gosto dele. Só.



Um comentário:

  1. HAHAHAHAHAAHAHAHA 8h28, acabei de acordar e perdi um pouco do meu tempo de aniversário, para ler esse texto, que convenhamos não tem nada de interessantes para aqueles que NÃO o lerem hahahahhaa Foi tipo uma descarga mental, um brainstorm de palavras, que sem organização., ficam jogadas.
    Curti Sr. Moço, principalmente o... tudo.
    Bjones

    ResponderExcluir