segunda-feira, 21 de maio de 2012

O MERGULHO



     Ele já estava ali fazia alguns minutos. Parado. Estático. O sol queimava lhe as costas, na tentativa de força-lo a se mover. Nada. Os olhos fitavam aquele grande espelho molhado. Seus óculos já haviam embaçado. Os braços estendidos ao lado do corpo, com vontade de juntá-los para uma prece. O cabelo fino balançava com o vento, as pernas finas tremiam, mais de ansiedade do que de frio.
     Parado ao lado da piscina nosso valente jovem, no alto de seus 6 anos, está preste a ter que enfrentar o grande monstro, muito pior que bicho papão, cuca ou lobisomem, pois este, meu caro amigo, é real, é o tal do Desconhecido. Este ser que assombra reis, rainhas, chefes de Estado, Líderes de revoluções, valentes, covardes, jovens, velhos, homens e mulheres. Ele não alivia para ninguém. Vem sempre nos momentos mais inoportunos. Quando menos precisamos ali está, olhando para nós, com um sorriso malicioso, simplesmente a espera de qualquer movimento nosso. Uma peculiaridade dele é que pode se camuflar. Está por toda parte, pode ser em coisas materiais ou abstratas. Sentimentos ou Piscinas, como neste caso.
     A batalha estava acontecendo. A calma aparente escondia a grande luta de nosso pequeno grande herói com seus medos. Angústia. Raiva. Dúvidas. Fraquezas. Temos a péssima mania de menosprezarmos os dilemas, as lutas de uma criança. Talvez com elas os medos sejam muito mais verdadeiros do que os nossos, ou você diria que é mais sensato ter medo de ser assaltado do que escuro? Talvez você passe a vida toda sem ser assaltado, já o escuro chega todas as noites para assombrar as pobres criancinhas.
     Ele toma uma decisão. Vai pular. Será a primeira vez sem as boias. Ele já sabe nadar. Tantas e tantas vezes já fizera isso. Mas mergulhar, sem seu salva vidas, seu seguro de vida, é novidade pra ele. Um mundo novo. É pular no escuro. Medo? Ele sente mais do que nunca, mas é um forte, corajoso. E coragem nada tem a ver com não sentir medo, mas sim em fazer o que tem que ser feito mesmo com eles a nos rondar.
     É agora. Não tem papai, não tem mamãe. É ele que tem que fazer isso. Ninguém pode fazer por ele. Uma olhada para seus pais. Outro para os céus. Olhar para baixo. Ele puxa o ar. Tampa o nariz com uma das mãos. Os pés começam a se soltar da borda. Ele foi. Está no ar. Ele não sabe, mas neste exato momento ele acaba de descobrir o que é viver a vida, um eterno pulo no escuro. Graças a Deus tenho comigo a Luz que nunca se apaga, pois assim que se vive, com fé naquilo que não se vê, puxar o ar, mergulhar, e sair sã e salvo do outro lado da piscina, como nosso grande pequenino herói.

2 comentários:

  1. É uma benção saber que Deus está no controle todos os dias... "verei que nem as trevas são escuras para ti. A noite brilhará como o dia, pois para ti as trevas são luz."
    Salmos 139:12

    ResponderExcluir
  2. Hoje [acho que] consegui arrumar palavras para descrever o que senti, vi e vivi ao ler esse texto. Quebra de TABUS, um passo ALÉM, coragem, confiança e OUSADIA, sim, tudo isso e muito mais.
    "Ele não sabe, mas neste exato momento ele acaba de descobrir o que é viver a vida, um eterno pulo no escuro." Sensacional!
    Sei lá, nem consegui escrever o que eu queria, mas foi um texto que me marcou e ficará guardado em minha mente e coração, é o que me impulsionará a pular, mesmo tendo medo, confiando Naquele que é por mim!
    Bjones Sr. Moço

    ResponderExcluir