sábado, 22 de setembro de 2012

DEBAIXO DO ASSOALHO




“Seu pai era um bêbado e sua mãe chorava na cama
Dobrando as camisetas de John Wayne, quando o balanço acertou sua cabeça
Os vizinhos, eles o adoravam
Pelo seu humor e sua conversa
Olhe debaixo da casa
Ache algumas coisas vivas, apodrecendo rápido, em seu sono
Oh, os mortos
Vinte e sete pessoas
Talvez mais, eram garotos, com seus carros e empregos de verão
Oh meu Deus
Você é um deles?
Ele se vestia como um palhaço para eles
Com seu rosto pintado de branco e vermelho
E em sua melhor atitude
Num quarto escuro, na cama ele beijou a todos.
Ele mataria dez mil pessoas
Com a leveza de sua mão, rompendo longe, rompendo rápido nos mortos
Ele tirou toda as suas roupas por eles
Ele pôs um pano em seus lábios, mãos silenciosas, beijo silencioso na boca
E na minha melhor atitude
Eu sou igualzinho a ele
Olhe debaixo das tábuas do assoalho
Para os segredos que escondi”

(Tradução da música “John Wayne Gracy Jr., do Sufjan Stevens)

Para você entender a letra dessa música, preciso lhe contar rapidamente a historia de John Wayne Gracy Jr.
Ele nasceu em 1942, em Chicago. Seu pai era alcoólatra, e durante toda infância e adolescência de John, ele o batia e chamava-o de bichinha. Aos 15 anos teve traumatismo craniano.
Adulto, era um cidadão exemplar, adorado pela vizinhança, palhaço em festas, as crianças o amavam.
Um dia, um garoto vai prestar serviços em sua casa, avisa os amigos, e desparece. A policia vai interroga-lo. Ao sair da casa, um dos policiais sente um cheiro estranho, vindo debaixo da casa. “é um cano de esgoto quebrado” despista John.
Os policiais encontraram em seu porão 28 corpos de garotos apodrecendo. Garotos que tinham sido levados até a casa do palhaço John, presos, violentados e mortos.
John morreu por pena de morte alguns anos depois.

Não queria falar dessa historia, mas sim da musica. Ela conta esta mesma historia, fala do palhaço John, quantas pessoas ele matou, o que fez, nas crianças que morreram.
Porém, ao final dessa música, há uma frase, um pequeno trecho, que tirou meu sono, que não me sai da cabeça:

E na minha melhor atitude
Eu sou igualzinho a ele
Olhe debaixo das tábuas do assoalho
Para os segredos que escondi

Infelizmente, e nunca disse esta palavra com tanta dor, é simplesmente a verdade. Não importa o que eu faça, não importa o quão bom eu seja, ou tente ser. Não importa quantos mendigos eu alimentar, ou quantas vezes eu salvar a vida de alguém. Não importa se eu acabar com a fome na África. Nada disso importa. Na minha melhor atitude eu sou tão ruim quanto John, o palhaço.
Nas minhas melhores tentativas eu acabo escondendo segredos sujos debaixo do assoalho. Segredos podres, que fedem.
Por isso a única coisa que eu posso pedir é:
DEUS, tenha misericórdia da minha vida. Sou um pecador, e necessito de sua graça. Sem a sua ajuda não sou nada além de um cara tão ruim quanto “John, o palhaço”.

"Sei que nada de bom habita em mim, isto é, em minha carne. Porque tenho o desejo de fazer o que é bom, mas não consigo realiza-lo. Pois o que faço não é o bem que desejo, mas o mal que não quero fazer, esse eu continuo fazendo. Ora, se faço o que não quero, já não sou eu quem o faz, mas o pecado que habita em mim. Assim, encontro esta lei que atua em mim: Quando quero fazer o bem, o mal está junto a mim. Pois, no íntimo do meu ser tenho prazer na lei de Deus, mas vejo outra lei atuando nos membros do meu corpo, guerreando contra a lei da minha mente, tornando-me prisioneiro da lei do pecado que atua em meus membros. Miserável homem que sou! Quem me libertará do corpo sujeito a esta morte? Graças a Deus por Jesus Cristo, nosso Senhor! De modo que com a mente, eu próprio sou escravo da lei de Deus; mas com a carne, da lei do pecado.”

Romanos 7: 18-25

4 comentários:

  1. Sabe quando você lê um texto e fica sem reação? Sou eu!
    Li ele às 5h e pouquinho da manhã e a única coisa que consegui dizer foi: "Deus, tem misericórdia de mim, sou pecadora e sem vc sou igual o palhaço John! Me ajuda!".

    ResponderExcluir
  2. Várias palavras poderia dizer, ao mesmo tempo nenhuma sairia da minha boca... forte, impactante, lindo, verdade..."Misericórdia Deus"

    ResponderExcluir
  3. Nossa! Sem palavras! Confronto básico!

    ResponderExcluir
  4. Que vídeo! Que música! Que post!! Muito boa a sua reflexão, nos as vezes temos que ser lembrados mesmo do quanto somos PODRES, tal qual sepulcros caiados e somente DEUS tem o poder de nos remodelar e dar um novo destino a nossa vida!!
    Que Deus continue te abençoando muito! E, se eu continuar encontrando posts bons como esse por aqui, voltarei mais vezes... rsrsrs

    ResponderExcluir